NOSSAS BANDEIRAS DE LUTA

OS PODEROSOS PODEM MATAR UMA, DUAS OU TRÊS ROSAS, MAS JAMAIS CONSEGUIRÃO DE TER A PRIMAVERA INTEIRA. (CHE GUEVARA)

Nós somos contra:

O projeto capitalista de sociedade, que privilegia o capital, garantindo a exploração da força de trabalho e criando uma profunda divisão social que resulta no número grandioso de trabalhadores excluídos, e mantendo uma agricultura baseada no latifúndio e na destruição da natureza em detrimento da acumulação de capital.

Defendemos:

Defendemos um projeto de sociedade que tenha a valorização do trabalho e que tenha a coletivização dos meios de produção e com o controle pelos trabalhadores, e que tenha um modelo de agricultura camponesa que valorize a igualdade de condições nas melhorias para o campo.

Nossa organização tem como princípio os valores socialistas nas relações humanas.

Temos clareza de o rumo a seguir e a certeza que não vamos parar de lutar, enquanto houver injustiças, desigualdades e opressão no campo e na cidade, provocada pelos mantenedores do modelo econômico do capital. Que se prevalece em nossa sociedade. Por isso, continuaremos firme rumo a um novo projeto de sociedade que acreditamos, chamado socialismo, por isso nos auto afirmamos como um movimento de classe e de horizonte socialista que lutamos por:

  • Agricultura camponesa – defendemos um modelo de agricultura que respeite e valorize os princípios da Agroecologia e garanta assistência técnica, comercialização justa e solidária, crédito especial, moradia digna com estrada de qualidade, transporte e infraestrutura para melhorar a qualidade de vida no campo.
  • Reforma agrária – defendemos o acesso a terra pelos trabalhadores através da desapropriação para produção de alimentos.
  • Saúde pública e universal que respeite a saberes populares e crenças dos povos do campo.
  • Biodiversidade – defendemos a biodiversidade como a água, terra, sementes crioulas e energia elétrica para melhorar a vida no campo.
  • Saneamento básico – defendemos o acesso a cisternas, banheiros, estrada e energia elétrica para melhorar a vida no campo
  • Políticas agrícolas – que atenda as necessidades dos povos do campo e respeite a cultura local.
  • Educação do campo – defendemos uma educação adequada a realidade do campo que respeite e valorize a diversidade camponesa e construção de processos pedagógicos de acordo os traços da cultura camponesa.