MTC lança banco e moeda própria

Nasce em Alagoas o banco Funpet e já tem uma moeda própria para financiar agricultura familiar e diminuir o efeito estufa.

Da Assessoria de comunicação do MTC 

O Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Campo – MTC lançou o seu próprio banco e moeda própria. O anuncio foi feito por Adriano Ferreira, Dirigente Nacional do MTC, na tarde da última sexta-feira (19), no evento de apresentação da 39ª Expo Bacia Leiteira, na cidade de Batalha Alagoas. Iniciativa pioneira será operacionalizada através do Fundo Nacional de Permanência na Terra (FUNPET), a moeda, Caatinga, surge após a criação do Banco FUNPET e tem como propósito combater a pobreza enquanto reduz a emissão de gases do efeito estufa. A moeda vai circular em estabelecimentos dos municípios de Batalha, Jacaré dos Homens, Jaramataia e Major Isidoro, todos localizados no Sertão alagoano.

A moeda, “Caatinga é-dinheiro”,  terá o mesmo valor do real e será aceita em estabelecimentos comerciais locais cadastrados e entrará em operacionalização de moeda impressa durante 39ª Expo Bacia Leiteira que é o maior no segmento de pecuária de leite do Nordeste, entre 14 e 17 de setembro. Após o termino da 39ª Expo Bacia Leiteira, será circulada na versão digital. A moeda será impressa pela Rede Brasileira de Bancos Comunitários, o equivalente ao Banco Central (BC). A rede é coordenada pelo Banco Palma, o primeiro a criar uma moeda comunitária no Brasil. Toda operação tem aval do BC.

O FUNPET vai aportar recursos na ordem de R$ 100 mil por mês já captados para garantir o poder de compra no comércio local.

O Banqueiro, Joaquim Melo, presidente da Rede Brasileira de Bancos Comunitários e criador do Banco Palmas, primeiro banco comunitário do Brasil, destaca o pioneirismo da iniciativa para a região e seu caráter educativo, servindo, inclusive, como espelho para outros municípios. “Um empreendimento dessa natureza deve despertar o interesse das pessoas, que poderão ser capacitadas pelo próprio FUNPET. Essa iniciativa pode ser multiplicada e resultar na abertura de outros bancos comunitários”, completou o banqueiro.

Melo acrescenta ainda que: “A circulação da moeda social oxigena a economia e aumenta as vendas, o que gera empregos e mais qualidade de vida. A cobrança de uma taxa de 2% ao comerciante, toda vez que ele realiza uma operação, é menor do que a cobrada pelos cartões tradicionais. Esse valor vai para o fundo do banco comunitário que terá recursos para investir em crédito produtivo que apoiará os produtores das cooperativas, os microempreendedores individuais, a produção agrícola, entre outros, com juros baixos ou até zero”.

Surgimento do FUNPET.

Em 2016 o MTC criou um fundo patrimonial com objetivo de promover a inclusão social na agricultura familiar e combater a pobreza. tendo como ponta pé inicial  o Projeto fogão solidário do MTC e um programa de mobilização e implantação de fogões ecológicos em sistema de fundo rotativo onde á cada duas familiar beneficiada será feita devolução solidaria pelas próprias familiares para implantação de mais um fogão ecológico em outras comunidades por isso o nome do programa e fogão solidário. A inciativa do MTC,  foi reconhecido pela ONU como Tecnologia social de combate a desertificação” pelo Programa Dryland Champions da Convenção das Nações Unidas para o Combate a Desertificação – UNCCD.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.


*