Movimento dos Trabalhadores do Campo (MTC) lança o projeto do “Polo Agroindustrial Cheiro da Terra e Unidade de Beneficiamento de Sementes” no Agreste Alagoano

Média de 600 agricultores/as do Movimento dos/as Trabalhadores/as do Campo (MTC), se reuniram no Sítio Cajazeiras, zona rural de Igaci-AL, para o lançamento oficial do Projeto Polo Industrial Cheiro da Terra e da Construção da Unidade de Beneficiamento de Sementes. O evento aconteceu no ultimo dia 18 de agosto e contou com a participação de agricultores/as de Alagoas, engajados no Movimento e de dirigentes e militantes do MTC de 5 Estados. – O Movimento já está estruturado em 10 Estados da Federação.

Prestigiaram o evento diversas autoridades locais como o Prefeito da cidade e o presidente da Câmara de Vereadores. Os parceiros e apoiadores presentes: Cáritas Brasileira NE2, Cáritas Diocesana e a Cáritas Paroquial de São Sebastião de Palmeira dos Índios, a Congregação das Religiosas Franciscanas de Santo Antônio e do Sagrado Coração de Jesus Mestre. Além dos Órgãos Governamentais: SEBRAE Arapiraca, o Instituto de População Sociedade e Natureza (ISPN) e a Universidade Federal de Alagoas – Campus Palmeira dos Índios.

As instalações do polo e da Unidade de beneficiamento de sementes funcionarão no Sítio Cajazeiras, zona rural do município de Igaci e tem a finalidade de estruturar uma área de duas tarefas de terra, conquistada através da organização e luta do Movimento, onde será construído um pequeno complexo agroindustrial de beneficiamento de produtos da agricultura camponesa das comunidades acompanhadas pelo Movimento, visando contribuir para a consolidação da rede de produção e comercialização do MTC e da Marca “Cheiro da Terra”.

De acordo com Adriano Ferreira, articulador do MTC, inicialmente será construído uma unidade de beneficiamento de sementes, onde será feita a classificação e empacotamento das sementes crioulas destinadas à reprodução e dos grãos para a comercialização na rede de supermercado. Uma ação dinâmica, compatível com a preservação do meio ambiente e a geração de emprego e renda no campo contribuindo assim com o desenvolvimento sustentável no campo, destacou Adriano Ferreira.
O Projeto é apoiado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, através do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) criado através do gesto concreto da Campanha da Fraternidade que a Igreja Católica promove todos os anos no período da Quaresma, pela Cáritas Brasileira e o BNDS.

Para o Padre Antônio Ari Reis, assessor da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), “o MTC é uma ação profética para a luta dos que estão excluídos no campo. O cristão precisa lutar por justiça social e essa luta precisa ser principalmente na reparação das injustiças cometidas com os camponeses e camponesas que durante anos os/as tem sido jogados/as fora de suas terras e abarrotando as favelas nas grandes cidades, precisamos fazer com que os/as camponeses/as fiquem em suas terras.”

A marca “Cheiro da Terra” foi lançada em 19 de abril de 2013, em Arapiraca com a participação de diversas autoridades nacionais e internacionais. A marca comercializa produtos saudáveis e movimenta uma economia local de R$ 300 mil com a venda de doce de leite, bolo de massa puba, milho, mel de abelha, queijo, pão de abóbora, batata doce, feijão, farinha e fubá de milho todos oriundos da agricultura camponesa e comercializados através do PAA – Programa de Aquisição de Alimentos, PNAE- Programa de Alimentação escolar do Governo Federal, e nas feiras de economia solidária.


Por Maria Mafra
Assessora da Cáritas Brasileira NE2

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.


*